Perigo ao Chegar em Casa: saiba como se proteger

No vídeo acima, Rodrigo Pimentel dá importantes dicas de como se proteger ao chegar em casa, um momento tão vulnerável e que pode ser a oportunidade perfeita para um criminoso. Afinal, a invasão de casas, roubo e ataques a famílias são crimes comuns e muitos deles acontecem justamente quando uma ou mais pessoas abrem o portão para entrar ou sair de suas residências.

Esse vídeo foi publicado originalmente no Canal Rodrigo Pimentel, no YouTube, onde também já foram postadas várias outras dicas sobre como se proteger, de forma segura, de situações como golpes, furtos, assaltos, entre outros.

E se você não pode assistir ao vídeo por algum motivo, confira a seguir tudo sobre “O perigo ao chegar em casa” e as sugestões de como se proteger.


Como o criminoso dá início a invasão de casas?

Esse momento, segundo Pimentel, é um dos momentos de maior fragilidade da segurança de uma família. É importante que todos tenham em mente que, normalmente, o roubo a residência acontece justamente quando os pais saem pela manhã para levar as crianças à escola, ou quando os adultos da casa voltam do trabalho, lá pelo final da tarde e início da noite.

Ao visualizar alguém entrando ou saindo, o criminoso aproveita para render o familiar e entrar na residência, o que configura a invasão de casas.


Qual o tempo da ação dos bandidos?

Você sabe quanto tempo leva para o criminoso conseguir invadir uma residência no momento em que tem alguém entrando e saindo dela? De 3 a 5 minutos. Ou seja, poucos instantes são suficientes para que um crime como esse seja consumado.

Além disso, o bandido costuma seguir um roteiro daquilo que procura roubar dentro da casa.

Os itens mais visados são:

  • Jóias
  • Armas de fogo
  • Dólares

Ao perguntar sobre esses itens, é comum que os moradores da casa cheguem à conclusão de que os bandidos tinham alguma informação prévia, mas na maioria dos casos eles não têm. Eles apenas costumam seguir esse roteiro e dá certo das pessoas terem um ou mais deles em casa.

Como evitar a invasão de casas?

Como vimos anteriormente, os criminosos precisam de poucos minutos para realizar a invasão. Sendo assim, a principal dica é: reduzir ao máximo o tempo de exposição na rua. Ou seja, o tempo entre abrir o portão, entrar com o carro e fechar o portão. Afinal, quanto menor o período gasto nessa atividade, menor também é a chance de você acabar rendido e se tornar vítima da invasão de casas.

Mas como diminuir esse tempo que já parece ser tão curto? O Pimentel dá as dicas não só de como reduzir o tempo, mas de como evitar a invasão de casas tanto de bairro, como casas de condomínio e também apartamentos. Veja a seguir:

1. Chave na mão

Nada de esperar estar de frente com a residência para ir procurar pela chave no bolsa, no painel do carro ou em qualquer outro lugar. É importante que a chave já esteja na sua mão ao chegar em casa.

2. Acionamento por controle

O portão é automático? Então verifique se o tempo total entre o seu acionamento e abertura total do portão leva, no máximo, 7 segundos – esse é o tempo considerado como máximo. Portanto, se passar disso, é hora de entrar em contato com a empresa responsável pela instalação do sistema de abertura automática para verificar o que pode ser feito.

3. Abordagem em condomínio

Quem mora em condomínio também está sujeito a invasão de casas, infelizmente. Nesses casos, o bandido costuma abordar a vítima na portaria, antes que ela passe pelos funcionários que ficam na guarita. Nesse tipo de situação, o maior facilitador para a ação dos criminosos é o insulfilm. Afinal, dessa forma, o bandido consegue entrar e não ser visto por mais ninguém.

4. Confinamento eclusa

Existe um equipamento de segurança chamado de “confinamento eclusa” que é bastante eficaz na inibição da abordagem de criminosos, pois confere dois tipos de abertura de portão diferentes antes que o morador possa acessar as dependências da casa ou condomínio. Se a sua moradia possui esse tipo de equipamento, faça uso dela!

5. Condomínio de apartamentos

Condomínios com muitas unidades habitacionais, como é o caso de muitos prédios de apartamentos, não facilitam a vida dos criminosos. Afinal, o grande número de pessoas acessando a portaria ao mesmo tempo acaba inviabilizando a ação. Portanto, é possível dizer que esse modelo de moradia acaba sendo mais seguro.

Criminosos que desejam realizar a invasão de casas dão preferência a prédios com, no máximo, 6 a 8 unidades habitacionais.

6. Capacitação do porteiro/ zelador

Quando o assunto é invasão de casas é importante saber que o porteiro ou o zelador são a linha de frente na proteção dos condomínios. Sendo assim, é fundamental investir na capacitação desses profissionais para que eles saibam exatamente como agir em situações de risco.

A polícia militar e o SECOVI (Sindicato da habitação) oferecem bons cursos e cartilhas de prevenção para porteiros.

7. Obras no condomínio

É comprovado estatisticamente que a fragilidade na segurança aumenta bastante quando há alguma obra em andamento no condomínio. Afinal, com todo o entra e sai de trabalhadores e material, acaba que tudo fica mais vulnerável a eventuais ações de criminosos.

Por isso, é importante cobrar do síndico que seja feita a identificação de cada prestador de serviço envolvido – pedreiros, ajudantes de obra, eletricistas, encanadores etc –, seja qual for o tamanho da obra.


Gostou das dicas para se proteger ao chegar em casa?

Você já foi abordado na entrada ou saída de casa, mas por algum motivo o crime de invasão de casas não aconteceu? Compartilhe a sua história nos comentários. Lembre-se também de se inscrever no Canal Rodrigo Pimentel para não perder nenhuma das dicas sobre segurança publicadas semanalmente.

Olá! Estamos ao vivo no Whats App, entre em contato agora.
Powered by